quinta-feira, 14 de julho de 2011

FAMILIA DIANTE E NO ALTAR DE DEUS

DOIS SEGREDOS DE SERMOS ABENÇOADO NA FAMILIA:

I – Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa(Efésios 6:2);

II – Temer a Deus acima de todas as coisas e guarda os seus mandamentos Provérbios 9:10 e Eclesiastes 12:13 “ O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência”.

Fomos criados e idealizados por Deus para ser uma família para Glória do seu nome, por isso precisamos sempre erguer um altar em nosso lar. A pergunta que não quer calar é qual altar que temos levantado. Há muita coisa dita na Bíblia sobre as boas relações familiares. Os Salmos 127 e 128 são, de fato, gêmeos, abordando o assunto da família de ângulos diferentes. Vamos recolocar em nossos lares os princípios afirmados nestes dois Salmos.

Os Salmos da Família
(Salmos 127, 128)
Salmos 127:1-5
1 - SE o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.
2 - Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.
3 - Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão.
4 - Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade.
5 - Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta.

Salmos 128:1-6
1 - BEM-AVENTURADO aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos.
2 - Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem.
3 - A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa.
4 - Eis que assim será abençoado o homem que teme ao SENHOR.
5 - O SENHOR te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida.
6 - E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel.

Neste encontro abordaremos três famílias que são exemplos de famílias cristãs pautada no Salmo supra-citado. O casal é a espinha dorsal da família e a família é a célula máter da sociedade. Com base nestas duas verdades, vamos rever quais são os aspectos funcionais da união conjugal e como podemos desenvolver uma cultura familiar nutridora. Lembre-se, ninguém melhor do que o idealizador da família, que é Deus (Sl 127:1), para dizer como ela deve ser e funcionar. A Bíblia é “o manual” que ensina todos os passos para se construir um projeto de vida em família que realmente vale a pena. Quando Deus planejou a família não a deixou para que o homem a edificasse da sua maneira, muito pelo contrário, ele deixou princípios que devem nortear toda a construção do projeto.
FAMILIA DE NOÉ

I PILAR DA FAMLIA (ENSINO) – Noé ensinou bem os seus filhos; eles deviam ter visto em Noé um exemplo consistente de fidelidade a Deus. Não temos registro de como foram educados,mas temos o fruto da educação que tiveram registrados na Palavra de Deus.

II PILAR DA FAMILIA (PRESERVAR) - Noé nasceu num tempo em que todos tinham pleno conhecimento de que Deus havia amaldiçoado a terra. “Disse o SENHOR a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque reconheço que tens sido justo diante de mim no meio desta geração”.

III PILAR DA FAMILIA (AUTORIDADE) – Respeitava-o independente da situação e reconhecia nele a posição de Sacerdote do Lar.

IV PILAR DA FAMILIA (RESPONSABILIDADE) – Não devemos transferir para Escola nossa responsabilidade.

V - PILAR DA FAMILIA TEMPO E DISCIPLINA – Devemos nos organizar em tudo para termos o tempo ideal para família e agir em tudo com disciplina.

VI PILAR DA FAMILIA (TEMOR A DEUS) – Noé sempre após a festa ou algo parecido feito pelos seus filhos ele oferecia sacrifício a Deus pelos pecados.


FAMILIA DE JOSUÉ

I PILAR DA FAMILIA (SERVIR AO SENHOR)– Josué decidiu junto da sua família servir ao Senhor independente da maioria Josué 24.15.

FAMILIA DE JÓ

I PILAR DA FAMILIA (SANTIDADE) – Todas às vezes após os banquetes dos seus filhos Jó fazia sacrifícios pelos pecados e os santificava (Jó 1.7).

II PILAR DA FAMILIA (CARÁTER) - Era homem sincero, reto e temente a Deus, reconhecia a soberania divina.

VEJAMOS SEIS PRINCÍPIOS IMPRESCINDÍVEIS QUE SÃO COMO COLUNAS DE SUSTENTAÇÃO NA EDIFICAÇÃO DA FAMÍLIA:

I - PILAR - O SENHOR SEJA O CENTRO DO LAR - "Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam" (127:1). "Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos" (128:1). Se as coisas não vão bem com Deus, como poderiam ir bem com o nosso cônjuge, filhos, pais
II PILAR – CONTENTAMENTO - Uma falta de contentamento é freqüentemente a causa. Para certas famílias, não faz diferença quanto dinheiro se ganha; nunca é suficiente. Maus hábitos de gasto de dinheiro criam tensão, preocupação e discórdia.

A ansiedade rouba o sono. Muitas pessoas podem tornar-se realmente mal humoradas quando não conseguem ter descanso suficiente. Não há substituto para uma boa noite de descanso; e pôr nossa confiança no Senhor, enquanto trabalhamos duro, ajudará a cumprir a meta.
III PILAR- INDEPENDÊNCIA FAMILIAR - “Por isso DEIXA o homem pai e mãe...” (Gn 2:24a) O casamento implica em romper o cordão umbilical de dependência dos pais, é um deixar em três aspectos importantes: geográfico, emocional e financeiro. É sempre bom lembrar que o texto diz deixa, o que é bem diferente de abandona. Gosto de um pensamento que os agricultores usavam em uma campanha nos Estado Unidos: “Se não gosta do que esta colhendo, olhe para traz e veja o que você plantou”, isso se aplicada aqui também. Essa independência tem que ser com muita gratidão, é um deixar para voltar a fim de assistir, cuidar, abraçar e honrar os pais.

Um Deixar geográfico – Há um adágio popular muito conhecido que expressa uma grande verdade: “Quem casa, quer casa”. Não é prudente o casal logo no inicio da vida a dois, ir morar com os pais. Aqueles que estão começando a caminhada conjugal, precisam aprender e amadurecer assumindo com responsabilidade todas as implicações da vida a dois, o que não acontece se eles estiverem morando com os pais
Deixar emocional – A privacidade de um lar depende dos limites que o casal estabelece para que sejam respeitados. Onde não há respeito aos limites, não há privacidade. Alguns conflitos conjugais são, muitas vezes, expressão de conflitos de lealdade com a família de origem que não consegue afrouxar e transformar os laços familiares para conseguir ligar-se ao parceiro e formar uma base de uma nova família. O segredo está no respeitar os limites que o casamento impõe em relação a família de origem.

Deixar financeiro –Os pais devem ensinar os filhos a pescar, e não passar a vida toda dando peixe nas mãos deles. Não estou afirmando que os pais não devem ajudar os filhos em tempo de dificuldade.

IV PILAR - UNIFICAÇÃO – ALIANÇA - “...e se UNE à sua mulher...” (Gn 2:24b) O termo unir ou apegar (como em algumas traduções) lembra a mesma palavra hebraica usada no livro de Josué 23:8. Apegar aqui significa juntar, afeiçoar, adaptar, agarrar, unir, atar, conciliar, harmonizar, ligar, fundir, soldar, associar, colar uma parte na outra, esse é o sentido da união conjugal. Quando uma separação de casal acontece, ninguém ganha!

Por que Deus odeia o divórcio? Porque o casamento foi planejado para ser uma união monógama (o ideal de Deus: um homem para uma mulher e vice-versa), exclusiva (fidelidade) e permanente (não é uma relação descartável). Ainda que muitos tentem provar o contrário, esse é o plano original de Deus para os homens.
V PILAR - UNIÃO CARNAL – PROCRIAÇÃO E RECREAÇÃO. - “... tornando-se os dois uma só carne...” (Gn 2:24c) Procriação – (União Física – Biológica) Um dos aspectos funcionais do casamento é a perpetuação da raça humana, isso está explicitado em Gn 1:28b: “Deus os abençoou, e lhes disse: “Sejam férteis e multipliquem-se!

Encham e subjuguem a terra!...” (BNVI) Há casais que fazem a opção radical de não ter filhos, essa decisão pode no futuro ser a causa de conflitos, desajustes e infelicidade conjugal. Filhos são herança do Senhor (Sl 127:3) e trás equilíbrio na relação de casal, tê-los não é opcional, é uma necessidade.

Quando o casal em função de um problema de infertilidade não pode gerar filhos biológicos, eis uma grande oportunidade para gerar a partir do coração (adoção). Casais que adotam crianças, repetem o gesto de Deus, pois Ele só tem um filho legítimo (Jesus) os demais são todos adotados, inclusive eu e você. (Rm 8:15)

Recreação – (União emocional) Não se pode negar a volúpia sexual (Pv 5:19). A satisfação que o sexo fornece é o prazer obtido de reafirmação do preito original do mútuo amor. Sem o prazer do sexo, sem a união física, o casamento se torna platônico, estéril e ilusório Há um texto em Provérbios, que numa linguagem figurada, ensina como o casal deve usufruir desta bênção planejada por Deus aos seus filhos.

“Beba das águas da sua cisterna (fidelidade), das águas que brotam do seu próprio poço. Por que deixar que as suas fontes transbordem pelas ruas, e os seus ribeiros pelas praças? Que elas sejam exclusivamente suas, nunca repartidas com estranhos. Seja bendita a sua fonte! Alegre-se com a esposa da sua juventude. Gazela amorosa, corça graciosa; que os seios de sua esposa sempre o fartem de prazer, e sempre o embriaguem os carinhos dela”. (Pv 5:15-19 BNVI) Paulo o apóstolo, também se preocupou com o ajustamento sexual dos casais da igreja de Corinto.

“O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Não se recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração. Depois, unam-se de novo, para que Satanás não os tente por não terem domínio próprio”. (1 Co 7:3-5 BNVI)

VI PILAR - INTIMIDADE – TRANSPARÊNCIA - “O homem e sua mulher viviam NUS, e não sentiam vergonha”. (Gn 2:25)

Casar é conhecer, e só há conhecimento e intimidade quando homem e mulher se descobrem um para o outro no relacionamento conjugal. Essa nudez na relação de casal, deve ser mais do que física, precisa ser emocional, psicológica e espiritual. Casais que dormem na mesma cama e até se relacionam sexualmente, mas vivem como dois estranhos, não há intimidade, não se conhecem. Quando se constrói uma relação de confiança e de amizade dentro do casamento. Ninguém abre as gavetas da intimidade da sua alma, para uma pessoa que não inspira confiança. A falta de liberdade e segurança, faz os casais deixarem de crescer em intimidade. Quando o casal procura desenvolver e aprofundar o compromisso de amizade e confiança na relação, os dois crescem em intimidade e fortalecem o casamento.


CONCLUSÃO
Pense na família como uma bênção de Deus "Herança do Senhor são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão" (127:3). "Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa" (128:3).

Uma das atitudes que prevaleceram entre os antigos era que os filhos eram uma dádiva de Deus. Eles suplicavam a Deus por filhos e consideravam ter uma grande família como um benefício
Os bons filhos olham pelo bem-estar dos pais nos dias de enfermidade e da velhice; eles abraçam as causas de seus pais quando precisam de um defensor; eles produzem netos que se tornam a "coroa dos velhos" (Provérbios 17:6).

Se os filhos são como ter "oliveira, à roda da tua mesa" (Salmo 128:3), os netos são como ter bolo de chocolate durante o dia todo. A melhor coisa com os netos é que eles lhe dão ainda uma nova oportunidade de preparar uma alma para a eternidade.

O salmista conclui com uma oração: "O Senhor te abençoe desde Sião, para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida, vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel!" (128:5-6).

Palestra ministrada na Assembléia de Deus em São Geraldo - Cariacica/ES.

FONTES DE CONSULTA:

Pr. Josué Gonçalves
Fonte: adportoalegre.com.br
E outros.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...