quinta-feira, 3 de maio de 2012

Aula 06 - TIATIRA, A IGREJA TOLERANTE


Texto Básico:Apocalipse 2:18-25



"Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?" (2Co 6:14,15).

INTRODUÇÃO

Nesta Aula estudaremos sobre a carta de Jesus Cristo enviada à igreja em Tiatira. Apesar de ser a menos importante das sete cidades, a carta dirigida a igreja foi a mais extensa. Tiatira, ao contrário de Éfeso, possuía a maior das virtudes - o amor, mas a doutrina praticada por ela não foi validada por Cristo; era operosa, mas não fiel. A igreja era marcada por fé - havia confiança em Deus. A igreja era marcada pela perseverança (ou paciência triunfadora) - ela passava pelas provas com firmeza. O seu progresso espiritual era bastante notório - suas últimas obras eram mais numerosas que as primeiras. John Stott comentando sobre os predicados espirituais da igreja em Tiatira diz: "Tiatira não apenas rivalizava com Éfeso nas atividades do serviço cristão, como também demonstrou o amor que faltava em Éfeso, preservou a fé que estava em perigo em Pérgamo e compartilhava com Esmirna a virtude da resistência paciente na tribulação” (STOTT, John. O que Cristo pensa da Igreja, p. 59). Todavia, Tiatira foi reprovada por Jesus pelo fato de tolerar os falsos mestres e a falsa doutrina.

I. A IGREJA EM TIATIRA

1. A cidade de Tiatira. “Uma cidade da província romana da Ásia, a oeste do que atualmente é a Turquia Asiática. Ocupava uma importante posição em um ‘corredor’ baixo que ligava os vales do Hermo e do Caico. Abrigava uma guarnição de fronteira, principalmente sobre a fronteira ocidental do território de Seleuco I, da Síria (que a fundou, no século IV a.C.), e posteriormente, após haver mudado de mãos, na fronteira oriental do reino de Pérgamo. Com esse reino, passou para o domínio dos romanos, em 133 a.C. Porém, continuou sendo um ponto importante do sistema de estradas dos romanos, pois ficava na estrada vinda de Pérgamo até Laodicéia, e daí continuava para as províncias orientais. A descrição feita pelo Senhor Jesus em Ap 2:18 é apropriada para uma cidade famosa por seus trabalhos em bronze. As condições da promessa de Ap 2:26,27 podem refletir a longa história militar da cidade. Uma cidade bastante grande, por nome Akhisar, continua existindo no mesmo local” (O novo dicionário da Bíblia – Editora Vida).
Tiatira não era nenhum centro político ou religioso, sua importância era comercial. Era sede de várias associações importantes de comércio, tais como: lã, couro, linho, bronze, tintureiros, alfaiates, vendedores de púrpura. Uma dessas corporações vendia vestimentas de púrpura e é provável que Lídia, a primeira pessoa a ser convertida em Filipos, fosse uma representante dessa corporação em Filipos (At 16:14). Essas associações tinham fins tanto de mútua proteção e benefício como social e recreativo. Seria quase impossível ser comerciante em Tiatira sem fazer parte dessas associações. Não participar era uma espécie de suicídio comercial; era perder as esperanças de prosperidade. Cada associação tinha sua divindade tutelar. Em suas frequentes reuniões havia banquetes com comida sacrificada aos ídolos e que acabavam depois em festas cheias de licenciosidade.
O que os cristãos deviam fazer nessas circunstâncias: transigir ou progredir? Manter a consciência pura ou entrar no esquema para não perder dinheiro? Ser santo ou ser esperto? Qual é a posição do cristão? Se sair da associação, perde sua posição, reputação e lucro financeiro; se permanecer nessas festas, está negando Jesus. Alguém tinha que dar uma solução. E é nesse momento que o líder deve se apresentar como o anjo da igreja; isso não ocorreu em Tiatira. Então o inimigo se aproveitou da situação e ergueu a sua representante: “Jezabel”. Sua astúcia foi tão ebriático que logo se sobressaiu como profetiza e mestra na igreja. Ela insinuava que para vencer Satanás é preciso conhecer “as coisas profundas de Satanás”. O seu ensino enfatizava que não se pode vencer o pecado sem conhecer profundamente o pecado pela experiência. Faltou discernimento por parte do líder e de muitos membros da igreja para perceber que Jezabel era um instrumento usado por Satanás.
2. A igreja em Tiatira(Ap 2:18). A igreja em Tiatira foi a quarta(Ap 1:11) das sete igrejas da Ásia. Lídia, a vendedora de púrpura (lã tingida), a primeira pessoa convertida por Paulo na Europa, era de Tiatira (Atos 16:14). É bem provável que o evangelho tenha chegado a essa cidade através dela. Também não se pode descartar a influência da obra missionária de Paulo na organização e formação da igreja em Tiatira(cf At 19:10).
Essa igreja se destacava em vários sentidos. Não lhe faltavam “boas obras, [...] amor, [...] fé, [...] serviço e perseverança paciente”. Porém, a congregação havia tolerado doutrinas impuras em seu meio, e o resultado foi a prática de prostituição e idolatria. A igreja havia permitido que uma “mulher” por nome “Jezabel”, que se dizia profetiza, conduzisse servos de Deus ao pecado. A igreja não era criteriosa acerca da verdade, pois cedia seu púlpito sem qualquer critério àqueles que se diziam crentes, mas apresentavam falsos ensinos. Possivelmente, enfatizando o amor a ponto de esquecer a pureza da doutrina, a igreja de Tiatira tolerava esta falsa mestra e cedia o púlpito para ela. Foi um grave erro. Devemos sempre lembrar que a sabedoria de Deus é mais importante do que a paz com pessoas (Tg 3:17; Mt 10:34-38). O povo de Deus deve repreender e rejeitar falsos mestres (Ef 5:11; Rm 16:17-18; Gl 1:6-9; Tito 3:10-11).
Segundo estudiosos, era esse o problema de Tiatira: não havia perseguição física; o perigo estava dentro da igreja. Essa é também uma dolorosa realidade na igreja contemporânea. Multiplicam-se os falsos mestres e muitas são as igrejas que abrem suas portas e franqueiam seus púlpitos a aventureiros descomprometidos com a sã doutrina. há muitas crendices no meio evangélico introduzidas por falsos mestres. As pessoas que são libertas do paganismo e deixam para trás seu misticismo grosseiro tornam-se prisioneiras de outras crendices nos redutos chamados evangélicos. Mantemos as pessoas prisioneiras de práticas absolutamente estranhas às Escrituras. Somos uma igreja que avilta a eficácia do sacrifício perfeito e completo de Cristo. Assistimos ao florescimento da igreja do sal grosso, do óleo ungido, do copo de água em cima do rádio, da cura pelo suor do corpo do “apostolo”, etc. Vemos crescer a igreja das campanhas, das novenas; a igreja que busca sofregamente os milagres e a prosperidade, mas não se deleita na salvação em Cristo Jesus. Vemos uma igreja que desengaveta as indulgências da Idade Média e vende a graça por dinheiro. Vemos multiplicar no Brasil igrejas que parecem mais empresas particulares, que abrem franquias como se abre uma loja comercial. Igrejas que fazem do evangelho um produto lucrativo e transformam os crentes em consumidores vorazes para abastecer os cofres de pregadores inescrupulusos. Somos uma igreja analfabeta na Palavra. Temos extensão, mas não temos profundidade. Temos muitos espetáculos grandiosos, mas não temos a Palavra. Temos muitos atores no palco, mas poucos pregadores fiéis nos púlpitos. Estamos precisando de um genuíno avivamento na igreja, um avivamento que traga de volta o povo de Deus à Palavra.

II. A IDENTIFICAÇÃO DO REMETENTE

“E ao anjo da igreja de Tiatira escreve: Estas coisas diz o Filho de Deus, que tem os olhos como chama de fogo e os pés semelhantes ao bronze polido”(Ap 2:18).
1. Jesus é “o Filho de Deus”. Jesus escolhe aqui o título de Filho de Deus, que é superior ao título escolhido em Apocalipse 1:13 quando se denomina Filho do Homem. Jesus escolhe esse título ao falar com a Igreja de Tiatira por causa do paganismo deles, que pregavam Jesus como humano e desprezavam Sua natureza divina. O final dos tempos é marcado por vários falsos mestres que ensinam que Jesus Cristo seria apenas humano, negando sua natureza divina. Nessa carta, o Filho de Deus é retratado com os olhos como chama de fogo e os pés semelhantes ao bronze polido.
2. Jesus é Onisciente – “tem os olhos como chama de fogo”. Para a igreja de Tiatira que estava tolerando a impureza e caindo em imoralidade, Jesus se apresenta como aquele que tem os olhos como chama de fogo, que se referem à sua visão penetrante, que tudo sonda e conhece. Sim, o Senhor Jesus vê tudo, conhece tudo e sonda a todos. Nada escapa a seu conhecimento. Ele conhece as obras (Ap 2:19) e também as intenções (Ap 2:23). Cristo apresenta-se assim porque muitas práticas vis estavam sendo toleradas secretamente dentro da igreja. Mas ninguém pode esconder-se do olhar penetrante e onisciente de Jesus. Pedro não pôde apagar de sua memória o olhar penetrante de Jesus. Ele esquadrinha o coração e os pensamentos. No dia do juízo, ele julgará o segredo do coração dos homens.
3. Jesus é o Supremo Juiz – Ele tem “os pés semelhantes ao bronze polido”. Para a igreja de Tiatira que estava tolerando a impureza e caindo em imoralidade, Jesus não apenas tem olhos como de fogo (Ap 2:19), não apenas sonda nossa mente e coração (Ap 2:23), mas, também, tem os “pés semelhantes ao bronze polido”(Ap 2.19), que se refere à iminência de julgamento. O bronze reluzente transmitia a ideia de força e estabilidade. Isso fala de sua onipotência para julgar seus inimigos.
O Noivo da Igreja tem todo poder e toda autoridade nos céus e na terra (Mt 28:18). Ele tem todas as coisas debaixo de seus pés. Todas as coisas lhe estão sujeitas. Ele tem poder sobre as forças da natureza, sobre os demônios, sobre a enfermidade e sobre a própria morte. Nada escapa ao seu controle e ao seu domínio.
No dia do juízo, Cristo colocará todos seus inimigos debaixo de seus pés (1Co 15:25). Naquele dia, o Cordeiro estará irado (Ap 6:17). O Juízo de Deus sobre os ímpios começará a ser executado logo que o Senhor Jesus retirar sua Igreja daqui da Terra. Todavia, o juízo de Deus terá seu ponto alto e final no Julgamento do Trono Branco que acontecerá depois do Milênio e antes do estabelecimento do Estado Eterno. Neste dia todos os ímpios de todos os tempos comparecerão diante do Supremo Juiz para o acerto de contas final.

III. UMA IGREJA RICA EM OBRAS

A igreja em Tiatira tinha todas as qualidades para ser, no mínimo, como a igreja de Esmirna. Ela tinha muito crédito diante de Deus. Suas qualidades eram exteriores e interiores. Foi o próprio Jesus quem reconheceu essas qualidades: “Eu conheço as tuas obras, e o teu amor, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência, e que as tuas últimas obras são mais do que as primeiras” (Ap 2:19). Portanto, a igreja em Tiatira era:
1. Uma igreja amorosa, caridosa – “e o teu amor”. Faltava amor na igreja em Éfeso(Ap 2:4), mas Jesus viu esta qualidade boa em Tiatira.
2. Uma igreja trabalhadora, serviçal – “e o teu serviço”. A igreja de Tiatira estava trabalhando mais do que trabalhara no início de sua carreira, mas muito trabalho sem vigilância também não agrada a Jesus. Ação sem zelo doutrinário (em Tiatira) e zelo doutrinário sem ação (em Éfeso) não agradam a Jesus.
3. Uma igreja de fidelidade – “e a tua fé” . Jesus é Aquele que distingue dentro da igreja as pessoas fiéis e as infiéis (Ap 2:24). Na igreja em Tiatira havia três grupos: os que eram fiéis (Ap 2.24), os que estavam tolerando o pecado (Ap 2:20) e os que estavam vivendo no pecado (Ap 2:20-22). A igreja estava bem, estava em perigo e estava mal. Em uma mesma igreja há gente salva e gente perdida. Há joio e trigo. E Jesus sabe distinguir uns dos outros.
4. Uma igreja perseverante – “e a tua paciência”. A igreja era marcada pela perseverança ou paciência triunfadora; ela passava pelas provas com firmeza.
5. Uma igreja operante – “e que as tuas últimas obras são maiores do que as primeiras”. A igreja em Tiatira ao invés de esfriar tornou-se cada vez mais ativa no serviço a Deus. A fé que agrada a Deus é a fé ativa que se mostra pelas suas obras (Tiago 2:14-17). Os servos de Deus devem ser “sempre abundantes na obra do Senhor” (1Co 15:58), pois Deus nos criou para boas obras (Ef 2:10).
Por estas qualidades apresentadas poderíamos considerar a igreja em Tiatira completa, exemplar. Entretanto, sua falha estava no excesso de tolerância. Em sua disposição de amar, talvez tenha se confundido um pouco, chegando a aceitar o inaceitável - “Tenho contra ti que toleras Jezabel...” (Ap 2:20). Esta “mulher”, que se intitulava profetisa, não somente ensinava como também seduzia cristãos a praticarem a prostituição e comerem coisas sacrificadas aos ídolos – “...mulher que se diz profetiza, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria”(Ap 2:20). Amar não significa tudo aceitar. Ainda hoje, o amor tem sido usado como escudo para esconder o mal e permitir o pecado. Quantos casais caem no erro em nome do amor? Quantos falsos profetas e falsos mestres são tolerados em nome do amor?
Atualmente há algumas denominações evangélicas fazendo o que está em Ap 2:19, mas, também dentro delas existem falsos mestres e pastores fazendo o mesmo o que está descrito em Ap 2:20, ou seja, fazendo o mesmo que a falsa profetiza Jezabel fazia. Alguém poderá perguntar: “será que vemos isso nas igrejas evangélicas?”. Sim, infelizmente! E isto não é só de agora. Podemos inferir através do seguinte texto dirigido à igreja em Colossos: “Exterminai, pois, as vossas inclinações carnais; a prostituição, a impureza, a paixão, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria” (Cl 3:5). Satanás sempre procurou destruir a igreja, mas parece que ele ainda não percebeu que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela”(Mt 16:18).

IV. JEZABEL, E AS PROFUNDEZAS DE SATANÁS

Digo-vos, porém, a vós os demais que estão em Tiatira, a todos quantos não têm esta doutrina, e não conhecem as chamadas profundezas de Satanás, que outra carga vos não porei” (Ap 2:24). Satanás estava presente e ativo na Ásia quando Jesus enviou as cartas às sete igrejas. Satanás tinha sinagogas em Esmirna (Ap 2:9) e em Filadélfia (Ap 3:9), e um trono em Pérgamo (Ap 2:13). Em Tiatira, ele tinha uma profetisa, por nome Jezabel, que incentivava as pessoas a conhecerem as “coisas profundas de Satanás”. Para servir a Deus num ambiente cheio da influência do diabo, o discípulo de Cristo teria que lutar e confiar em Deus, na certeza da recompensa aos vencedores. Quando uma igreja cresce em qualidade Satanás fará de tudo para descontinuar o crescimento dessa igreja. Ele a persegue de todas as maneiras.
A igreja de Tiatira estava crescendo (Ap 2:19), por isso Satanás procurou corromper seu interior, em vez de atacá-la de fora para dentro. A perseguição não era física, mas camuflada. Essa é a pior perseguição, pois é sutil e quase imperceptível.
1. A Jezabel de Tiatira. Jezabel (esse nome é provavelmente simbólico) era evidentemente uma mulher que foi aceita dentro da comunhão da igreja (Ap 2:20). Seu ensino provavelmente advogava certa medida de transigência com alguma atividade que era implicitamente pagã. É possível que isso fosse associação com clubes sociais ou corporações em que os negócios diversos estavam organizados. Essas corporações cumpriam muitas funções admiráveis, e seguir alguma atividade comercial era quase impossível para quem não pertencesse a uma dessas corporações; não obstante, suas reuniões estavam inseparavelmente ligadas com atos de adoração e imoralidade pagãs.
Provavelmente Jesus tenha escolhido esse nome por representar toda a maldade da mulher do rei Acabe, rei de Israel. Foi Jezabel quem introduziu em Israel o culto pagão a Baal e misturou religião com prostituição (1Rs 6:31). Ela não só perseguiu os profetas de Deus(1Rs 18:4), mas também promoveu o paganismo. A Jezabel de Tiatira agiu de maneira semelhante, seduzindo os cristãos às práticas de idolatria e prostituição (ou imoralidade sexual literal, ou impureza espiritual).
Acredita-se que a Jezabel de Tiatira era uma devota da deusa Diana (ou Artemis, seu outro nome), e que, possuindo beleza e o dom da liderança, seguida de gente influente na cidade, e que, atraída à causa crescente do cristianismo, juntara-se à igreja, insistindo no privilégio de ensinar e praticar prazeres licenciosos, alegando que a sua doutrina era inspirada. Esse tipo de procedimento infame é o que o diabo tem usado para tentar destruir a igreja do Senhor Jesus. Sempre que a igreja começa a crescer e glorificar o Senhor com almas redimidas, o diabo contra-ataca, enviando pessoas dele para criarem divisões, intrigas, doutrinas falsas, adultérios, roubos, mentiras, enfim, toda a sorte de sujeira do seu reino para dentro da igreja, para tentar desmoralizá-la perante a opinião pública. Quando tudo isso não alcança o seu objetivo, ele providencia a perseguição por parte das próprias autoridades. Mas, a recomendação de Cristo é: “resisti ao diabo, e ele fugirá de vós”(Tg 4:7).
2. O ministério de Jezabel. A Jezabel de Tiatira parecia ser usada pelo Espírito Santo, com dom de profecia. Entretanto, havia outro espírito agindo nela. Tinha aparência de espiritualidade, mas vivia na carnalidade. Suas palavras podiam ser agradáveis, mas suas obras eram malignas (Ap 2:20-22). Certamente Deus fala através de profecias, mas nem toda profecia vem de Deus. As mensagens proféticas devem ser julgadas à luz da bíblia (1Co 14:29). Precisamos rejeitar toda palavra que não esteja de acordo com as Sagradas Escrituras, principalmente aquela que nos induz ao pecado. É provável que essa “Jezabel” tenha profetizado na igreja, defendendo veladamente os alimentos sacrificados aos ídolos e a prostituição, mas o Senhor, zeloso por seus servos, levantou João, o verdadeiro profeta, para desmascarar aquele engano.
Além de “profetizar”, Jezabel ascendera à categoria de mestra na igreja(Ap 2:20), só que o seu ensino induzia os crentes a se desviarem da verdade. A igreja abriu as portas para essa mulher. Ela subia ao púlpito da igreja, exercia a docência na igreja e induzia os crentes ao pecado. A igreja não tinha pulso para desmascará-la e enfrentá-la. A proposta de Jezabel era oferecer uma nova versão do cristianismo, um cristianismo liberal, sem regras, sem proibições, sem legalismos. Ela queria modificar o cristianismo para se adaptar à moralidade do mundo. Ela ensinava uma prática ecumênica com o paganismo. Ela ensinava a igreja que a maneira de vencer o pecado era conhecer “as coisas profundas de Satanás” (Ap 2:24).
Assim como a Jezabel do Antigo Testamento havia corrompido o povo de Deus com imoralidade e idolatria, também a Jezabel de Tiaira ensinava que os cristãos podiam envolver-se com tais práticas sem pecar. É possível que incentivasse os cristãos a se afiliarem as associações de profissionais em Tiatira, um compromisso que envolvia o culto ao deus ou deusa da associação e a participação em festivais nos quais se consumiam coisas sacrificadas aos ídolos.
O ensino dela era que não há mérito em vencer um pecado sem antes experimentá-lo. O argumento dela é que, para vencer a Satanás, é preciso conhecê-lo e que o pecado jamais será vencido a menos que você tenha conhecido tudo por meio da experiência. O ensinamento perverso que estava por trás dessa falácia era: os pecados da carne podiam ser livremente tolerados sem prejuízo para o espírito. Mas a Bíblia diz que, nós os que para o pecado já morremos, não podemos viver no pecado (Rm 6:1,2).
Precisamos ficar atentos para esse tipo de pessoa dentro das igrejas. Não podemos nos iludir com aparência ou eloqüência dela, nem ficar impressionados com suas “profecias”, mas devemos observar seu modo de vida, pois seu exemplo pode influenciar muitos servos de Deus, levando-os ao pecado.
3. O tempo da misericórdia. O Senhor disse: “dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição, e não se arrependeu” (Ap 2:21). Tempo é oportunidade. Em todas as cartas temos a marca do amor de Cristo pela igreja e até pelos falsos. Até Jezabel teve sua oportunidade de arrependimento. Porém, não quis aproveitá-la. Enquanto o juízo não vem, pode-se pensar que Deus seja tolerante com o pecado, mas não é isso. Trata-se do tempo da misericórdia que antecede o julgamento e a sentença.
4. Consequências do pecado(Ap 2:21-23). Durante algum tempo, a falsa profetiza Jezabel esteve confortável na igreja de Tiatira, até que veio sobre ela o juízo de Deus e a consequência do seu pecado. Uma vez que Jezabel não queria arrepender-se, o Senhor lhe daria uma cama de tribulação em lugar de seu leito de lascívia. A Nova Versão Internacional diz que ela ficaria doente. Os que com ela cometeram adultério também seriam prostrados numa cama de grande tribulação, caso não se arrependessem das obras que a suposta profetiza incitava. Então, todas as igrejas saberiam que o Senhor está atento a todas as coisas e recompensa a cada um segundo as suas obras. A idolatria, a prostituição e o adultério não ficarão impunes, a não ser que haja arrependimento.
5. Purificação da igreja. Poderíamos perguntar: por que Deus permite a presença de pessoas assim na igreja? Mas, o Senhor está perguntando por que nós permitimos? Ele disse ao líder da igreja: “Tenho contra ti que toleras Jezabel...”. Era responsabilidade de o líder extirpar aquele mal do meio da congregação. Cabe ao líder zelar pela saúde doutrinária de sua comunidade eclesiástica e não confundir amor com omissão. Os crentes fracos devem ser ajudados, mas os que ensinam falsas doutrinas devem ser afastados do grupo. Não se pode tolerar a presença do lobo dentro do aprisco.
6. Perseverança dos salvos (Ap 2:24,25). Daqueles que não se contaminaram com os referidos pecados, o Senhor esperava perseverança. De nada adianta ser um cristão temporário, que se desvia diante da primeira tribulação. Precisamos ser perseverantes até a vinda do Senhor. O advérbio “até” nos dá idéia de continuidade, insistência, e fidelidade, a despeito das circunstâncias. Os que assim viverem, praticando a vontade do Pai, serão por Ele recompensados.
7. A recompensa dos vencedores (Ap 2:26-28). O vencedor em Tiatira era o cristão fiel que guardava firmemente as obras do cristianismo autêntico. Sua recompensa consistiria em reinar com Cristo no milênio. Teria “autoridade sobre as nações” e as regeria “com cetro de ferro”. A “brilhante Estrela da Manhã” é o Senhor Jesus(Ap 22:16). Assim como a “estrela da manhã” aparece no céu antes de o sol nascer, Cristo aparecerá como Estrela da manhã para arrebatar sua igreja ao Céu antes de vir como o Sol da justiça para reinar sobre a Terra(1Ts 4:13-18; Ml 4:2). O vencedor recebe, portanto, a promessa de que participará do arrebatamento. Amém!

CONCLUSÃO

O Senhor reconheceu realidades boas dentro da igreja em Tiatira: muito trabalho, amor pelos pobres, demonstrações de fé, obras assistenciais de grande tamanho, etc. Mas, também, Jesus viu problemas nela. Não basta a Igreja ter estas qualidades, tem que haver temor do Senhor, respeito pela sua Palavra, santificação dos seus membros, ensinamento de renuncia pelo mundo, busca do Reino dos céus, unidade do corpo de Cristo.
Um dos grandes enganos de Satanás é induzir os crentes a pensar que precisam buscar novidades para terem uma experiência mais profunda com Deus. Não precisamos buscar fora das Escrituras inovações, modismos. Tudo está feito. O banquete da salvação está preparado e completo. O que precisamos é tomar posse da vida eterna, reconhecer o que Deus já nos deu, apropriarmo-nos das insondáveis riquezas de Cristo. A provisão de Deus para nós é suficiente para uma vida plena até a volta de Jesus (Ap 2:25). Precisamos permanecer firmes e fiéis, conservando essa herança até o fim. Amém?

---------

Elaboração: Luciano de Paula Lourenço – Prof. EBD – Assembléia de Deus – Ministério Bela Vista. Disponível no Blog: http://luloure.blogspot.com

Referências Bibliográficas:

William Macdonald – Comentário Bíblico popular (Antigo Testamento).

Bíblia de Estudo Pentecostal.

Bíblia de estudo – Aplicação Pessoal.

Revista Ensinador Cristão – nº 50.

O Novo Dicionário da Bíblia – J.D.DOUGLAS.

Comentário Bíblico Beacon – CPAD.

Comentário Bíblico NVI – EDITORA VIDA.

Rev.Hernandes Dias Lopes – Ouça o que o Espírito diz às Igrejas.

Fonte: http://luloure.blogspot.com.br/2012/04/aula-06-tiatira-igreja-tolerante.htm

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...