quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

LIÇÕES BÍBLICAS DO 1º TRIMESTRE DE 2013


No 1º Trimestre de 2013 estudaremos, através das Lições Bíblicas da CPAD, sobre o tema: “ELIAS E ELISEU: Um Ministério de Poder para toda a Igreja”. As lições serão comentadas pelo pastor José Gonçalves. Foram divididas nos seguintes temas:


Lição 1- A Apostasia no Reino de Israel.
Lição 2- Elias, o Tisbita.
Lição 3- A Longa Seca Sobre Israel.
Lição 4- Elias e os Profetas de Baal.
Lição 5- Um Homem de Deus em Depressão.
Lição 6- A Viúva de Sarepta.
Lição 7- A Vinha de Nabote.
Lição 8- O Legado de Elias.
Lição 9- Elias no Monte da Transfiguração.
Lição 10- Há Um Milagre em Sua Casa.
Lição 11- Os Milagres de Eliseu.
Lição 12- Eliseu e a Escola de Profetas.
Lição 13- A Morte de Eliseu.

Temas de grande importância prática e doutrinária são aqui abordados, que certamente promoverá a edificação da Igreja.

------

Como eu disse na abertura do 4º Trimestre/2012, o ministério profético é uma das peculiaridades que Deus destinou a Seu povo, Israel. Nenhuma outra nação teve este privilégio. No Antigo Testamento o Profeta era uma figura de Jesus - era o intermediário entre Deus e os homens. Era o porta-voz de Deus. Hoje, aquela função de intermediário não é mais atribuição dos Profetas, pois “... há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem”(1Tm 2:5). Esta verdade ficou bem patente no Monte da Transfiguração, onde num primeiro momento estavam Moisés e Elias, como representantes da Lei e dos Profetas, mas, num segundo momento, o Senhor Jesus estava sozinho, quando então os discípulos ouviram a voz do Pai, que dizia - “Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo: escutai-o” (Mt 17:5).

No Antigo Testamento existiram duas categorias de Profetas: Profetas Canônicos e Profetas não canônicos: (a) - Os Profetas Canônicos, são também chamados de Profetas Literários e de Profetas da Escrita. Estes são aqueles Profetas que escreveram suas mensagens, cujos Livros foram aceitos como Canônicos. (b) - Os Profetas não Canônicos, são também chamados de Profetas da Palavra e de Profetas Orais. São aqueles que profetizaram verbalmente e que não deixaram suas mensagens escritas. O primeiro profeta não canônico que a Bíblia menciona foi Enoque - “E destes profetizou também Enoque ... (Judas 14). Dentre estes a Bíblia cita Abraão(Gn 20: 7), Natã, Elias, Elizeu, Micaias, etc., etc.

Neste 1º Trimestre de 2013 estudaremos dois dos profetas não canônicos: ELIAS e ELISEU. Eles foram profetas que dentro do seu contexto histórico fizeram grande diferença no meio do povo de Israel. Foram homens poderosamente usados por Deus e que influenciaram significativamente a história do povo de Deus e, por que não dizer, a história da humanidade.

1. ELIAS

A história de Elias encontra-se em 1Reis 17:1 até 2Reis 2:11. Ele também é mencionado em 2Crônicas 21:12-15; Malaquias 4:5,6; Mateus 11:14; 16:14; 17:3-13; 27:47-49; Lucas 1:17; 4:25,26; João 1:19-25; Romanos 11:2-4; Tiago 5:17,18.

Elias aparece no cenário profético em um período de apostasia no reino do Norte, também conhecido como "Israel". As causas dessa apostasia são detalhadas em 1 e 2Reis. Bem antes do aparecimento de Elias e Eliseu, o rei Salomão adorou desuses falsos (1Rs 11) e posteriormente um dos seus súditos, Jeroboão, filho de Nebate, um dos responsáveis pela divisão do reino, fez o mesmo. Dessa forma a semente da apostasia foi plantada entre o povo de Israel do Antigo Testamento. Todavia, a apostasia da qual Elias foi contemporâneo foi introduzida em Israel por meio de Acabe (874-853 a.C.) e sua esposa, Jezabel (1Rs 16 e17). De fato, as Escrituras põem o casamento misto de acabe com Jezabel, filha de Etbaal rei dos sidônios, como uma das causas da apostasia no reino do Norte. O relato bíblico destaca que Acabe "tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi e serviu a Baal, e o adorou" (1Rs 16:31). Foi em decorrência desse casamento pagão que a idolatria entrou com força em Israel. Esse fato teve consequências na nação nortista. Em primeiro lugar, houve a perda da identidade espiritual. Podemos ver isso em 1Rs 18:21. Em segundo lugar, isso trouxe também como consequências o julgamento divino (1Rs 17:1; 18:1).

O compromisso do profeta Elias foi exclusivamente com Deus e sua Palavra. E esse seu compromisso com Deus nos choca e nos desafia. Ele foi enviado para confrontar, não confortar. Ele transmitiu a mensagem do Senhor a um rei (Acabe) que frequentemente rejeitava sua mensagem só porque ele a trazia. Elias desempenhou seu ministério somente para Deus e pagou por esta decisão, ao experimentar o isolamento como outros que também eram fiéis ao Senhor.

É interessante pensar nos incríveis milagres que Deus realizou através de Elias, mas faríamos bem em enfocar a comunhão que compartilhavam. Tudo o que aconteceu na vida de Elias começou com o mesmo milagre que está disponível a nós: ele respondeu ao dom de conhecer a Deus. Por exemplo, depois de Deus operar um milagre extraordinário através de Elias, ao derrotar os profetas de Baal, a rainha Jezabel retaliou, ao ameaçar a vida do profeta. Elias fugiu. Ele se sentiu aterrorizado, deprimido e abandonado. Apesar de Deus prover-lhe comida e abrigo no deserto, desejou morrer. Então o Senhor apresentou-lhe uma “exibição audiovisual” e uma mensagem que ele precisava ouvir. Elias testemunhou uma tempestade de vento, um terremoto e fogo. Mas Deus não estava em qualquer uma destas coisas poderosas. Antes, o Senhor mostrou sua presença com uma voz suave.

Elias, como nós, lutou contra seus sentimentos, mesmo depois desta confortante mensagem de Deus. Então o Senhor confrontou as emoções do profeta e ordenou-lhe que agisse. Deus instruiu Elias a respeito do que deveria fazer depois e lhe informou que parte de sua solidão estava baseada na ignorância: outros sete mil em Israel ainda se mantinham fiéis ao Senhor.

Até hoje, Deus frequentemente fala através do suave e do óbvio em vez de fazê-lo através do espetacular e do incomum. O Senhor tem tarefas para fazermos mesmo quando sentimos medo e fracasso. E Deus sempre tem mais recursos e pessoas do que sabemos. Embora possamos desejar realizar milagres incríveis para o Senhor, devemos, em vez disso, enfocar o desenvolvimento de nossa comunhão com Ele. O verdadeiro milagre da vida de Elias foi a sua amizade extremamente pessoal com Deus. E este milagre também está disponível a nós.

2. ELISEU

A história do profeta Eliseu encontra-se em 1Reis 19:16-2Reis 13:20. Ele também é mencionado em Lucas 4:27.

O profeta Eliseu, filho de Safate, foi discípulo e sucessor de Elias como profeta de Deus para Israel. Poucos “sucessores” nas Escrituras foram tão eficientes quanto Eliseu. Certamente, ele teve o profeta Elias como o maior exemplo a ser seguido. Ele permaneceu com Elias até os últimos momentos da vida do seu mestre na terra. Estava disposto a seguir e a aprender  a fim de receber poder para fazer o trabalho para o qual Deus o havia chamado.

Tanto Elias como Eliseu concentraram seus esforços nas necessidades específicas do povo que estava ao seu redor. O impetuoso Elias confrontou e expôs a idolatria, ajudando a criar uma atmosfera onde o povo pudesse adorar a Deus livre e publicamente. Eliseu então agiu com a finalidade de demonstrar a poderosa natureza de Deus, ainda que cuidadosa, para todos aqueles que vieram a Ele em busca de ajuda. Ele passou mais tempo cuidando compassivamente do povo do que em conflitos contra o mal. A Bíblia registra 18 encontros entre Eliseu e as pessoas necessitadas. Eliseu teve uma visão mais ampla e de maior alcance na vida do que a maioria das pessoas,  porque reconheceu que em Deus havia mais bênçãos a favor da vida. Ele sabia que tudo o que somos e temos vem de Deus. Os milagres que aconteceram durante o ministério de Eliseu colocaram as pessoas em contato com o Deus pessoal e Todo-Poderoso. Elias teria se orgulhado do trabalho de seu sucessor.

Nós, também, temos grandes exemplos a seguir – tanto as pessoas mencionadas nas Escrituras como aqueles que influenciam positivamente a nossa vida. Devemos resistir à tendência de pensar nas limitações que a nossa formação ou que o nosso ambiente criam para nós. Antes, devemos pedir que Deus nos use para seus propósitos – talvez, como Elias, tomar posição contra grandes erros ou, como Eliseu, mostrar compaixão pelas necessidades diárias daqueles que estão à nossa volta. Peça que Deus use você como só Ele é capaz de fazer.
----
Elaboração: Luciano de Paula Lourenço – Prof. EBD – Assembléia de Deus – Ministério Bela Vista. Disponível no Blog: http://luloure.blogspot.com

Referências Bibliográficas:

Bíblia de Estudo Pentecostal.
Bíblia de estudo – Aplicação Pessoal.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...