terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Jovens e Adultos - Lição 08: O Legado de Elias


Professoras e professores, para esta lição, apresento as seguintes sugestões:
- Para iniciar a aula, destinem pelo menos 05 minutos para manter um contato com os alunos, antes de introduzir o tema da aula. Para isso, vocês devem perguntar como eles passaram a semana; observem atentamente o que eles estão falando, pois vocês podem detectar se há alguém precisando de oração, de uma conversa etc. Apresentem os visitantes.
Vejam também qual o melhor horário para vocês apresentarem os alunos aniversariantes da semana, se houver.
Com esta atitude, somada aquela do início da aula, vocês estão formando vínculos afetivos com os alunos.
- Falem que a aula terá como tema dois pontos importantes: o legado de Elias e a sucessão dele por Elizeu.
- É importante que inicialmente vocês procurem estabelecer o significado da palavra “legado”.
As respostas devem ser em torno da transmissão de algo, de conhecimento, de valores morais e espirituais, de bens materiais que é deixado por alguém para outrem.
- Falem: Então, vejamos qual foi o legado de Elias.
Apresentem o que está disposto no item IV da lição.
- Depois, trabalhem como aconteceu a sucessão de Elias por Elizeu.
- Em seguida, utilizem a dinâmica “Imagem Refletida”.
- Para finalizar, leiam o texto “Os Lenhadores”, que proporcionará a reflexão sobre a preparação para o serviço e a importância da experiência acumulada.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Professoras e professores, não improvisem. Planejem a aula com antecedência. Quer saber como? Leiam o texto abaixo.

Planejamento de Aula
            Fazer planejamento da aula não deve ser entendido como mera formalidade, mas como um instrumento de trabalho que vai proporcionar uma melhor orientação e execução da aula.
            Ao preparar a aula, lembre-se de pedir ajuda ao Espírito Santo: “O Consolador vos ensinará...” Jo 14. 26.
            O Planejamento de Aula é composto por 5(cinco) partes:
1 – Objetivos: Representam aquilo que você deseja que seus alunos alcancem com a ministração do tema.
            A Lição Bíblica já contém os objetivos formados. Leia-os, observando de forma criteriosa a intenção contida neles. Você pode elaborar outros objetivos de acordo com a necessidade de sua turma; tenha cuidado quanto à concretização de cada um deles durante a aula, para isso, utilize bem o tempo disponível.
2 – Conteúdo: É o assunto da lição.
            A Lição Bíblica apresenta o conteúdo, dividido em tópicos, facilitando o entendimento gradual do tema a ser estudado. Lembre-se que você pode e deve buscar outras fontes de consulta. Leia toda a lição pelo menos duas vezes, observe o que é mais importante na lição, para expor em primeiro lugar aquilo que é mais relevante.
3 – Metodologia:Refere-se à maneira como você vai compartilhar o assunto da lição com seus alunos.
            Oriento que você utilize a aula expositiva dialogada, associada a outros recursos de ensino que possibilitem a participação dos alunos e melhor aprendizagem do tema. Veja alguns exemplos: trabalho em grupo, dramatizações, projetos pedagógicos, dinâmicas, estudo de caso etc.
Faça aplicação do assunto estudado com a vida social e espiritual do aluno, quanto mais o ensino se aproxima da realidade, mais o aluno aprende.
4 – Recurso Didáticos: São instrumentos que facilitam o processo de ensino e  a aprendizagem.
            São vários os recursos didáticos. Veja alguns que podem ser utilizados na EBD: Cartazes, TV, DVD, filmes, documentários, CD-Som, música, Data-show, retroprojetor e outros que, mesmo não sendo tecnológicos, servem para potencializar a aprendizagem.
            É interessante que o professor saiba utilizar estes recursos. Se houver dificuldade, peça ajuda. O recurso serve para auxiliar e deve ser entendido como meio motivador da aprendizagem. Caso você considere que o recurso lhe atrapalha, é porque você não está sabendo ainda como usá-lo. Mas, não desista, procure aprender e buscar auxílio.
5 – Avaliação:
            Geralmente, quando se fala em avaliação é comum associá-la à prova, teste, atribuição de notas, mas avaliar vai muito mais além do que isto. A avaliação na EBD também tem sido alvo de opiniões controvertidas: na verdade, qual será a finalidade da avaliação na EBD?
 Mas, vejamos o que o professor pode realizar:
            . Durante a aula, o professor deve observar a expressão facial e corporal dos alunos, para identificar se estão entendendo o assunto.
. Também deve utilizar-se de perguntas sobre o assunto e expressões como: “Estão entendendo?” e “Alguma dúvida?”
. Pode ainda fazer avaliação escrita ao término do trimestre, com pontuação e premiação a seu critério.
. O professor deve também oportunizar espaço para o aluno realizar autoavaliação.
. O professor pode também fazer autoavaliação ou pedir para que outro colega ou mesmo a turma fale sobre seu desempenho durante a aula.
Elaborar um planejamento dá o norte de como seguir na execução da aula, dessa forma o professor vai ministrar a aula com mais segurança, pois não vai improvisar, utilizando bem o tempo, conhecendo o conteúdo e os objetivos que deseja atingir, utilizando métodos e recursos adequados ao tema e ao aluno, pois sabe o caminho a seguir.
Por Sulamita Macedo.

Objetivo: Refletir sobre o legado de Elias para seu sucessor e para os lideres atuais.

Material:
01 espelho limpo
01 espelho embaçado(sujo)
01 flanela
01 limpador de espelho
Papel ofício cortados em pedaços

Procedimento:
- Falem: Vivenciamos a liderança no nosso cotidiano, quer seja na nossa família, na igreja, no trabalho e dessa forma observamos posturas diferentes de lideres.  Esta lição enfatiza o exemplo do profeta Elias para seu sucessor Elizeu.


- Apresentem os dois espelhos e peçam para que os alunos observem cada um deles. Depois eles devem falar sobre o tipo de imagem refletida.
- Perguntem: Qual espelho representa a imagem de Elias para Elizeu? Por quê?
- Depois, falem que Elizeu, discípulo de Elias, apresentou excelentes qualidades para substituí-lo, refletindo até uma imagem ampliada do seu Mestre.
- Pequem os dois espelhos e falem:
 O que nossos lideres estão refletindo?
O que estamos refletindo, como lideres?
- Trabalhem com a turma o conteúdo dos itens da lição, observando sempre como os princípios dessa liderança podem ser absorvidos ou melhorados nas nossas ações.
 - Para concluir a aula, distribuam dois pedaços pequenos de papel ofício e solicitem aos alunos para destacarem um ponto positivo e um negativo da liderança que eles exercem ou de seus líderes; não precisa de identificação dos nomes dos alunos; colem numa cartolina, separando-os em duas colunas; o grupo deverá identificar quais características precisam melhorar ou aquelas que necessitam continuar.
- Agora, limpem o espelho embaçado e perguntem: Como limpar o espelho do exemplo para os liderados?
Aguardem as respostas.
- Para concluir, enfatizem os pontos do legado de Elias para a liderança atual.
Por Sulamita Macedo.
Conta-se que um jovem lenhador ficara impressionado com a eficácia e rapidez com que um velho e experiente lenhador, da região onde morava, cortava e empilhava madeira das árvores que derrubava. O velho lenhador era um homem tranquilo, bem relacionado com todos e era tido como uma pessoa de bom coração, além de ser considerado o melhor lenhador de toda a redondeza.
O jovem o admirava e o seu desejo permanente era de um dia, torna-se tão bom, se não melhor, que aquele homem, no ofício de cortar madeira. Certo dia, aquele jovem finalmente decidiu procurar o velho lenhador com o propósito de aprender com quem mais sabia e assim tornou-se o melhor lenhador que aquela cidadezinha já tinha ouvido falar.
            Passados alguns dias daquele aprendizado, o jovem resolvera que já sabia tudo e que aquele velho não era tão bom quanto falavam. Sendo assim, o jovem decidira afrontar o velho lenhador, desafiando-o para uma disputa: em um dia de trabalho quem cortaria mais árvores? Aquele velho lenhador aceitou, sabendo que seria mais uma oportunidade de dá uma lição no jovem arrogante. E assim fizeram, reuniram testemunhas, formaram comissão julgadora, organizaram torcida, delimitaram as áreas onde seriam cortadas as árvores e, no dia escolhido para o confronto, lá se foram decidir os dois quem seria o melhor.
De um lado, o jovem forte, robusto e incansável, mantinha-se firme, cortando as suas árvores. Do outro, o velho lenhador, desenvolvendo o seu trabalho silencioso, tranquilo. Também firme e sem demonstrar nenhum cansaço.
Num dado momento, o jovem olhou para trás a fim de ver como estava o velho lenhador e qual não foi a sua surpresa ao vê-lo sentado. O jovem riu e pensou: “além de velho e cansado, está ficando tolo, por acaso não sabe ele que estamos numa disputa?”. E assim, ele prosseguiu cortando lenha sem parar, sem descansar um minuto.
Ao final do tempo estabelecido, encontraram-se os dois e os representantes da comissão julgadora foram efetuar a contagem e medição e, para admiração de todos, foi constatado que o velho havia cortado duas vezes mais árvores do que o jovem desafiante.
Este, espantado e irritado ao mesmo tempo, indagou-lhe qual o segredo para cortar tantas árvores, já que uma ou duas vezes que parara apenas para olhar, via-o sentado bem tranquilo, enquanto ele não parou um só minuto.
            O velho, bastante sereno, respondeu: “todas as vezes que você me via sentado, eu não estava simplesmente parado, descansando. Eu estava amolando meu machado”.
Autoria desconhecida.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...