quarta-feira, 24 de abril de 2013

Aula Dinâmica - Juvenis - Lição 04: Eu & a Terceira Idade


Professoras e professores, para esta lição, apresento as seguintes sugestões:
- Para iniciar a aula, destinem pelo menos 05 minutos para manter um contato com os alunos, antes de introduzir o tema da aula. Para isso, vocês devem perguntar como eles passaram a semana; observem atentamente o que eles estão falando, pois vocês podem detectar se há alguém precisando de oração, de uma conversa etc. Apresentem os visitantes.
Vejam também qual o melhor horário para vocês apresentarem os alunos aniversariantes da semana, se houver.
Com esta atitude, somada aquela do início da aula, vocês estão formando vínculos afetivos com os alunos.
- Falem que o tema da aula será sobre o relacionamento do jovem com a pessoa idosa.
- Façam um levantamento de quantos alunos têm convivência com idoso.
Anotem no quadro. Normalmente, eles têm este relacionamento por conviver com pais, tios, avós membros de sua família ou de colegas, ou na escola, ou na igreja, ou no trabalho etc.
- Depois, utilizem a dinâmica“Terceira Idade”.
- Trabalhem outros pontos levantados na lição, sempre de forma contextualizada e participativa.
- Falem: No início da aula, foi perguntado quem convivia com idosos.  E de alguma forma sempre há relacionamento com eles, de forma direta ou indireta. Então, depois deste estudo, o que modificou em sua mente sobre a relação e convivência entre os idosos e os jovens?
Aguardem as respostas.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Terceira Idade
Objetivo:
Refletir sobre a condição da pessoa idosa e o relacionamento do jovem com o idoso.
Material:
Cópia do texto “A Tigela de Madeira”(veja no procedimento)
01 folha de papel ofício e caneta para cada grupo
Procedimento:
1 - Leiam o texto “A Tigela de Madeira”.
A Tigela de Madeira
Um senhor idoso foi morar com seu filho, nora e o netinho de 4 anos de idade. As mãos do senhor eram trêmulas, sua visão embaçada e seus passos vacilantes.
A família comia reunida à mesa. Mas, as mãos trêmulas e  a visão falha do senhor o atrapalharam na hora de comer. Ervilhas rolavam de sua colher e caíam no chão.
Quando pegava o copo, o leite era derramado na toalha da mesa. O filho e a nora irritavam-se com a bagunça.
– Precisamos tomar uma providência com respeito ao papai, disse o filho.
 - Já tivemos suficiente leite derramado, barulho de gente comendo com a boca aberta e comida pelo chão.
Então, eles decidiram colocar uma pequena mesa num cantinho da cozinha. Ali, o avô comia sozinho enquanto o restante da família fazia as refeições à mesa com satisfação.
Desde que o senhor quebrara um ou dois pratos, sua comida era servida numa tigela de madeira.
Quando a família olhava para o avô sentado ali sozinho, às vezes com lágrimas nos olhos, mesmo assim, as únicas palavras que lhe diziam eram admoestações ásperas quando ele deixava um talher ou comida cair no chão.
O menino de 4 anos de idade assistia a tudo em silêncio. Uma noite, antes do jantar, o pai percebeu que o filho pequeno estava no chão, manuseando pedaços de madeira.
Ele perguntou delicadamente ao filho:
- O que você está fazendo?
O menino respondeu:
- Ah, estou fazendo uma tigela para você e mamãe comerem quando eu crescer.
O garoto sorriu e voltou a fazer o trabalho. Aquelas palavras tiveram grande impacto nos pais e eles ficaram chocados, pensativos, refletiram suas atitudes.
Embora ninguém tivesse falado nada, ambos sabiam o que precisava ser feito. Naquela noite, o pai tomou o avô pelas mãos e gentilmente conduziu-o à mesa da família.
Dali para frente e até o final de seus dias ele comeu todas as refeições com a família. E por alguma razão o marido e a mulher não se importavam mais com um garfo e com a colher quando caiam ou quando o leite era derramado ou a toalha da mesa sujava.
Autoria desconhecida.
2 – Após a leitura, reflitam com os alunos sobre a convivência desse idoso com seu filho, nora e neto.
Que pontos chamou mais sua atenção?
Falem: Lemos uma situação que pode ter acontecido ou não, mas que nos traz grandes ensinamentos.
3 - Falem: Mas, há situações reais que vocês devem ser presenciado. Então, dividam a turma em 02 grupos e peçam que eles anotem fatos que conhecem, tanto positivos e negativos com relação ao tratamento do idoso por outras pessoas, em vários lugares, como ônibus, fila de banco, no volante de um carro etc.
Estipulem um tempo de 5 minutos para esta atividade.
4 - Depois, os grupos devem apresentar e refletir sobre estas ações.
5 - Para concluir, contextualizem o tema, refletindo sobre a convivência do jovem com os idosos, enfatizem a necessidade de atitudes promotoras de respeito e paciência, pois os jovens são ágeis, rápidos e os idosos estão em situação de desvantagem, neste aspecto, mas há muito o que aprender com eles.
Por Sulamita Macedo.

1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...