terça-feira, 18 de junho de 2013

Dinâmica Pré-adolescentes – Lição 12: Primeiro eu!

Professoras e professores, para esta lição, apresento as seguintes sugestões:
- Iniciem a aula, falando: A aula de hoje tem como tema a reflexão sobre inveja, egoísmo.
Ops! Não está faltando alguma coisa para iniciar a aula?
Costumeiramente e repetidamente coloco aquela parte(que vocês já conhecem) que deve acontecer antes de começar  o estudo da lição. Mas, pode ser que alguém não se lembre e haja algum visitante novato neste blog, então vou expor novamente o que vocês devem fazer para iniciar uma aula:
“- Iniciem a aula, cumprimentando os alunos, perguntem como passaram a semana. Escutem atentamente as falas dos alunos e observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração. Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.
Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email.
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.
Compreendem a importância desse ato?
Vocês realmente estão fazendo isto?”
- Agora, vocês iniciam o estudo da lição, falando: A aula de hoje terá como tema a inveja e o egoísmo.
- Utilizem a dinâmica “Inveja”.
- Depois, trabalhem outros pontos da lição não abordados na dinâmica.
- Leiam o texto pedagógico: “Não faça drama! Saiba como utilizar a dramatização como instrumento de aprendizagem na EBD”. Este texto pode lhe auxiliar na dinâmica proposta para esta lição. Encontre-o no marcador “Texto Pedagógico”.
Tenham uma excelente e produtiva aula!


Dinâmica: Inveja

Objetivo: Estudar sobre a inveja.

Material:
Um ramo
Uma figura de sol
Flores
Folhas secas
Um saco
Sementes
Procedimento:
1 - Leiam com os alunos o texto “A inveja do Pequeno Ramo”(postado abaixo), para que os alunos entendam o que vão fazer.
2 - Agora, após a leitura, façam uma encenação deste texto. Para isto, vocês precisam observar as seguintes orientações:
O narrador deve ser o professor.
Escolher um aluno para ser o pequeno ramo, entregar para ele um ramo verde e folhas secas.
Escolher um aluno para ser o jardineiro e outra pessoa para ser a filha; o jardineiro entra com um saco no bolso.
Observar as orientações em itálico e entre parênteses para os alunos realizarem.
A inveja do Pequeno Ramo
Era uma vez um pequeno ramo. O pequeno ramo estava no topo de uma montanha. A montanha mais bela e alta da floresta, do lado da casa de um jardineiro trabalhador. O pequeno ramo era feliz com seus outros amigos ramos ali(todos os alunos devem ficar agachados deste o início da leitura).
Então o tempo foi passando, e a chuva caía(os alunos devem dizer chuá chuá), e o sol nascia(um aluno deve mostrar o sol). E todos os ramos começaram a crescer(os alunos devem se levantar). Os amigos do pequeno ramo, agora já não eram mais ramos, e sim, botões de flor(os alunos mostram as flores). O pequeno ramo ficou feliz pelos amigos, e resolveu parar seu trabalho de crescimento para observá-los.
Então se passou mais um tempo e os amigos do pequeno ramo já viraram canteiros de rosa. E nada do pequeno ramo crescer(o aluno pequeno ramo deve permanecer abaixado). Mas dessa vez, o pequeno ramo não ficou feliz pelos amigos. Ele ficou triste(fazer cara de pessoa triste). Ficou triste e chateado porque seus amigos estavam crescendo e ficando mais bonitos do que ele, simples mato amarelado.
Os amigos do pequeno ramo já eram grandes arbustos e o pequeno ramo estava tão triste de ver seus amigos tão grandes, que ele resolveu ser a praga que estragava a beleza dos grandes arbustos florais.
Agora, os arbustos deixaram cair sementes(os alunos jogam sementes pelo chão), que se multiplicaram, e que formaram um jardim. E cada vez mais, o pequeno ramo tentava estragar a beleza do jardim, se alastrando por todo o gramado.
Chegou um dia que ele ficou tão triste, mas tão triste por causa dos amigos, que resolveu se transformar em uma verdadeira praga parasita, e começou a influenciar os amigos a deixar de produzir aquelas flores tão belas, para que fossem apenas simples arbustos, e o lugar iria ficar mais bonito.
- Simplicidade, meus colegas, simplicidade. Ele os enganava.
Alguns caíam em sua conversa, outros não.
Até que um dia veio o jardineiro daquele lugar, com a filha pequena(o aluno jardineiro e a filha entram). A menina adorou as roseiras. Mas ela notou que havia um matinho chato as enforcando(a menina fica olhando entre as roseiras). Então pediu para o pai arrancar o que estava estragando o trabalho tão bonito do tempo, e da natureza, com seu coração todo mole pelas rosas.
Então o pequeno ramo foi arrancado(o aluno pequeno ramo sai, puxado pelo braço). E só o que sobrou dele, foram suas folhas secas imundas, que o jardineiro recolheu(o aluno jardineiro apanha as folhas secas e coloca no saco), feliz por ter se livrado de uma praga inconveniente, e causado um sorriso a mais no rosto da pequena filha. (Autoria desconhecida)
3 – Depois, analisem com os alunos sobre as consequências da inveja do pequeno ramo.
4 – Em seguida, falem sobre a inveja dos irmãos de José(personagem bíblico); leiam Gn 37. 5 a 11 e se possível apresentem figuras que ilustrem esta narrativa.

Vocês podem conseguir as figuras no departamento infantil da igreja. Pelo fato de mostrar figuras, isto não quer dizer que é algo infantil, pois depende do enfoque dado pelo professor para os alunos pré-adolescentes.
5 – Depois, leiam Gn 49.22 “José é um ramo frutífero, ramo frutífero junto à fonte; seus ramos correm sobre o muro”
Em seguida, façam uma comparação entre José, um ramo frutífero, com o ramo do texto que não cresceu, estabelecendo diferenças entre eles sobre a inveja, um que foi invejado e o que aconteceu com os irmãos invejosos e o pequeno ramo que invejava seus amigos ramos que cresceram e ele não.

Por Sulamita Macedo.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...