terça-feira, 3 de setembro de 2013

Jovens e Adultos - Lição 10: A Alegria do Salvo em Cristo - Aula Dinâmica

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email.
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associada a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, vocês iniciam o estudo do tema.
- Falem: A lição de hoje tem como título “A Alegria do Salvo em Cristo”
- Iniciem o estudo com a dinâmica “Alegria, alegria...”
- Depois, trabalhem o conteúdo proposto na lição, buscando sempre a participação dos alunos.

Na lição 07, sugeri duas dinâmicas sobre alegria. Fica a dica, caso você não tenha utilizado nenhuma delas, na aula já citada.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Texto Pedagógico

Participação do aluno na aula da EBD
Um novo olhar para uma velha questão

        A participação do aluno no processo de ensino e aprendizagem é condição fundamental para que haja construção do conhecimento, sendo então necessária a tomada de decisão por parte do docente para que proporcione ao aluno, formas diferentes de participar do ato de aprender.
            Neste texto, tecerei algumas considerações especificamente sobre a participação do aluno nas aulas da EBD(Escola Bíblica Dominical).
            Geralmente, as aulas da EBD são ministradas através do método expositivo, isto é, o professor transmite o saber e os alunos escutam... escutam... de forma passiva aquilo que o professor deseja transmitir, sem promover de fato a participação dos discentes no processo.
Reconheço que é quase impossível fugir da aula expositiva. Como assim? Então, parece um contrassenso escrever este texto, não é? Mas, vejamos os caminhos para melhorar este quadro. Este método, quer queira ou não, é utilizado de forma frequente, mas há possibilidades de utilizá-lo com criatividade.
A unilateralidade do ensino centrado no professor é um dos pontos negativos mais agravantes deste método. Sendo assim, é possível modificar esta situação, agregando a ele outros métodos e recursos para potencializar o ensino e a aprendizagem, oportunizando ao aluno uma participação ativa.
Promover experiência participativa nas aulas requer inicialmente tomada de consciência por parte do professor da importância deste ato para a aprendizagem, ou melhor, mudança de paradigma da aula de Escola Dominical, tradicionalmente e historicamente executada de forma não participativa.
Romper com a cultura da não participação, do silêncio e da imobilidade requer questionamento  da prática docente e de resultados. É um ato desafiante, individual e até provocativo, pois nem todos que compõem o corpo docente vão aderir a este modo participativo de ministrar aulas na EBD, criticando até seu modo de ensinar.
Afinal, quais as possibilidades de participação dos alunos na aula da EBD? Já foi dito anteriormente, que há necessidade e possibilidade de agregar outros métodos e recursos de ensino à aula expositiva. Veja alguns exemplos:

- Trabalhar com projetos;
- Divisão de grupos;
- Debates;
- Encenação, esquete;
- Perguntas e respostas;
 - Estudo de caso;
- Dinâmicas;
- Oportunizar o aluno para fazer perguntas, tirando dúvidas;
- Realizar leitura individual e compartilhada de versículos e outros textos;
- Depoimentos dos alunos, relatos de experiências;

Concluindo, desejo aqui ainda me reportar ao que já escutei, quando alguém é questionando quanto ao modo de ensinar sem participação dos alunos, ao dizer: “Mas sempre foi assim!”. Sempre foi assim e você considera que está dando certo? Certo para quem? Fácil para quem? Sempre foi assim porque alguém ainda não rompeu com o modelo que vem sendo copiado ao longo dos anos, mas que precisa ser reinventado, pois não cabe mais este modelo para os ideais de um ensino participativo, que promove aumento da retenção da aprendizagem da Palavra de Deus, forma o caráter cristão e transforma vidas.  Não é difícil de executar, difícil é iniciar, pois há quebra de padrões estabelecidos. Comece por você e contagie seus colegas!

Por Sulamita Macedo.
Dinâmica: Alegria, alegria...

Objetivo:
Refletir sobre a alegria, a paz, a confiança, a esperança e a fé que devemos ter mesmo diante de dificuldades.

Material:
01 caixa que caiba os seguintes objetos:
01 figura de um rosto sorrindo
01 bala de mel
01 lenço
Um pouco de sal
01 pedra
01 espinho
01 limão
01 grão de mostarda
01 figura de um pombo branco

Procedimento:
1 - Passem a caixa para que alguns alunos tirem um objeto.
2 - Peçam para que a pessoa que pegou o objeto pense o que pode significar este objeto nas lutas da vida cristã.
Nesse momento, os alunos podem pedir ajuda ao colega do lado.
3 - Agora, solicitem que os alunos socializem o que pensaram, mostrando primeiro o objeto ou a figura.
Caso haja dificuldade, deem algumas indicações como estas abaixo, sugerindo o que pode representar os objetos ou figuras:

Rosto sorrindo: Alegria na tribulação e no momento do desfecho da situação.

Bala de mel: Alegria que encontramos na Palavra de Deus: As tuas palavras são mais doces que o mel(Sl 119.103)

Lenço: Para enxugar as lágrimas de tristeza, de alegria e quando oramos.

Sal: Conserva a nossa esperança e confiança em Deus

Pedra: Simboliza as dificuldades do caminho

Espinho: Representa o incômodo, o sofrimento

Limão: Representa os azedumes, as angústias, as tristezas

Grão de mostarda: Representa a fé

Pombo: Simboliza a paz

4 – Leiam as referências:
“Tenho vos dito isto, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”(Jo 16.33).
“Regozijai-vos, sempre, no Senhor; outra vez digo: regozijai-vos”(Fp 4.4).

5 – Para concluir, enfatizem a importância da alegria e paz que temos através da atuação divina em nossas vidas, diante das vicissitudes da caminhada cristã.

Por Sulamita Macedo.

1 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...