terça-feira, 19 de novembro de 2013

Aula 08 – A MULHER VIRTUOSA

4º Trimestre/2013

Texto Básico: Provérbios 31:10-21,23-29
24/11/2013

"Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de rubins" (Pv 31.10).







INTRODUÇÃO
O Capítulo 31 de Provérbios é como que uma homenagem à mulher virtuosa. Ele contém um acróstico do alfabeto hebraico. Do versículo 10 a 31, cada versículo começa com uma letra do alfabeto Hebraico. Este Capítulo se tornou necessário visto que a mulher apareceu muitas vezes no Livro como um instrumento pecaminoso, contra quem, especialmente os jovens, foram advertidos a não caírem nos seus laços. O Livro falou de “mulher insensata”, da “mulher perversa”, da “mulher rixosa”, da “mulher imoral”, porém, no fim apresenta a mulher virtuosa, aquela que teme ao Senhor - “... mas a mulher que teme ao Senhor essa será louvada”(Pv 31:30).
O que é ser uma mulher virtuosa? Será que é aquela que vive para o lar e não trabalha fora e que tem sempre uma atitude servil? Por muitos séculos a mulher foi excluída, colocada à margem da sociedade, vivendo sob o jugo do preconceito, da indiferença. No Antigo Testamento, as mulheres ficavam à parte quando havia visitantes (Gn 18:9). Segundo o Dicionário Bíblico Wycliffe, "na sociedade hebraica a mulher era considerada parte da propriedade de um homem" (Gn 31:14,15; Rt 4:5,10). O texto de Juízes 19:24 mostra um pouco do abuso e da violência a que as mulheres eram submetidas (Jz 19:24,29). No Novo Testamento, no Templo de Herodes, elas ficavam separadas em um local chamado de "pátio das mulheres". Porém, o Criador sempre amou e honrou as mulheres. Jesus Cristo quebrou vários paradigmas ao ensinar e evangelizar as mulheres (João 4:10-26; 11:20-27). Ele abriu as portas das prisões sociais e valorizou a mulher como ninguém nunca o fez ou fará (Is 61:1) - "Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus" (Gl 3:28).

I. A MULHER VIRTUOSA COMO ESPOSA

1. Tem a confiança e o respeito do marido. A Bíblia diz que a primeira característica da mulher virtuosa é exatamente a confiança e credibilidade que tem junto ao seu marido (Pv 31:11), que é o pressuposto para que realize tudo aquilo que está descrito naquele texto. Se a mulher não tivesse a credibilidade do marido, poderia administrar a casa, como ali é descrito? Poderia comprar e vender? Produzir e conservar a sua residência? Muitas mulheres não despertam confiança em seus maridos e, por isso, não têm esta liberdade que tinha a mulher virtuosa, inclusive no aspecto econômico-financeiro.
Um dos compromissos assumidos no casamento é a fidelidade conjugal. É, sem dúvida, um dos maiores pilares de sustentação do casamento. Segundo o pastor Elinaldo Renovato, a segurança espiritual e emocional do casal depende da fidelidade que cada um devota ao outro. Sem fidelidade, o casamento desaba. As estruturas do casamento não são preparadas para suportar a infidelidade. Esta tem efeito devastador no matrimônio, no lar e na família. Mas, infelizmente, nestes últimos dias da Igreja, Satanás tem se utilizado desta arma contra o casamento. “Ninguém é de ninguém”, costuma-se dizer e se propaga a tolerância e a admissão de “aventuras extraconjugais” por parte de marido e mulher, chegando mesmo a se dizer que tal comportamento reforça a “sexualidade” e o “afeto” entre os cônjuges. Mentiras satânicas que têm por objetivo tão somente a disseminação da impureza sexual. A Bíblia é bem clara a este respeito: “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus” (1Co 6:10) e, ainda, “aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará” (Hb 13:4b). Por fim, “Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira” (Ap 22:15). Em outras palavras, quem preterir a fidelidade conjugal, caminhará para a perdição eterna.
2. Tem a admiração e o reconhecimento do marido. “A mulher virtuosa é a coroa do seu marido, mas a que procede vergonhosamente é como apodrecimento nos seus ossos”(Pv 12:4). Uma mulher virtuosa é uma mulher nobre, graciosa, diligente e amorosa. Ela agrada e honra o seu marido fielmente. Ele é grato e se regozija na bondade de Deus para com ele através dela. Mas uma mulher odiosa envergonha o seu marido, e lentamente o mata de dentro para fora pela sua estupidez, egoísmo, teimosia ou infidelidade. A “coroa” citada no texto é simplesmente uma metáfora. Uma coroa honra a pessoa. Reis recebem coroas pela honra do seu ofício, e atletas são coroados para honrar as suas realizações esportivas. Uma grande mulher honra o seu marido pelo prazer e pela admiração que ela traz para ele, e ela coroa a autoridade dele através da sua submissão e pelo que ela exige dos seus filhos. A coroa é uma bela peça de jóias e a mulher virtuosa é assim, também, para com o seu marido!

II. A MULHER VIRTUOSA COMO MÃE

1. É educadora. “Toda mulher sábia edifica sua casa, mas a tola derruba-a com a suas mãos”(Pv 14:1). A mulher sábia é a “mulher virtuosa” de que fala provérbios 31:10. Ela tem capacidade de edificar a sua casa, como adjutora do seu esposo, ao lado dos filhos. A primeira e grande tarefa que a esposa tem como adjutora, na edificação do lar é na criação dos filhos ao lado do marido. Isso não é pouca coisa. Diz um provérbio: “Quem educa um homem, educa uma esposa. Quem educa uma mulher, educa uma nação”. Explicando: Uma mãe, quando cônscia do seu dever, contribui com parcela ponderável de sua vida na edificação moral e espiritual dos seus filhos que, no futuro, serão cidadãos úteis à nação.
2. É afetuosa.  Em Provérbios 31:28 está escrito: “Levantam-se seus filhos, e chamam-na bem-aventurada...”. Este texto nos induz a entender que, como mãe, esta mulher virtuosa tratava a sua família com bastante afeto e atenção. Como diz o pr. José Gonçalves, afeto gera afeto! Atualmente, afeto é um “produto” em extinção; quando isto é manifestado faz-se à distância, por meios virtuais(facebook, por exemplo), e outros não demonstram carinho algum pelos seus filhos, são brutos e egoístas; o indiferentismo é implacável! Como será o futuro das famílias daqui a 15 anos? Nem quero imaginar! É bom ressaltar que uma das grandes causas da delinquência juvenil pode ser encontrada na ausência de afetividade na infância por parte dos seus pais.

III. A MULHER VIRTUOSA COMO TRABALHADORA

Uma das características da mulher virtuosa é o fato de não ser preguiçosa, mas trabalhadora – “Busca lã e linho e trabalha de boa vontade com as suas mãos”(Pv.31:13). Sabemos que a ida da mulher ao mercado de trabalho não é uma opção pessoal e voluntária, na maior parte das vezes, mas é consequência dos baixos salários, do crescente desemprego e uma decisão de sobrevivência. No entanto, mesmo quando for inevitável esta solução, que implicará em prejuízos inafastáveis na educação e criação dos filhos, tudo deve ser feito de modo a reduzir, ao máximo, os malefícios e o critério a ser utilizado deverá ser, sempre, o da busca do realmente necessário e fundamental para a família, não se deixando levar pelas quimeras da suntuosidade, do luxo ou da manutenção de um “status” social totalmente incompatível com a realidade do cotidiano familiar. Se a família se orientar pelos valores consumistas, fatalmente estará fadada a amar o dinheiro e, a partir deste amor ao dinheiro, trará para si enormes dores e dificuldades (2Tm 6:8-10).
1. É dona de casa. “Ainda de noite, se levanta e dá mantimento à sua casa e a tarefa às suas servas”(Pv 31:15); “Olha pelo governo de sua casa e não come o pão da preguiça” (Pv 31:27). Aqui, a mulher virtuosa ama administrar sua casa. É fundamental que a mulher execute as tarefas que lhes são cometidas dentro do lar, entre os quais, destacam-se a provisão da alimentação e das demais necessidades. O modelo tradicional de família, já hoje quase inexistente, cometia ao marido o trabalho fora de casa, e à mulher o trabalho dentro de casa. Hoje em dia, em virtude da necessidade de ambos os cônjuges trabalharem, para que haja o mínimo de conforto na vida da família, é preciso que haja uma distribuição de tarefas entre os cônjuges, o que não é biblicamente condenado, como alguns “machistas” têm entendido. De qualquer modo, o controle das tarefas dentro de casa tem de ser da mulher, pois, como dizem as Escrituras, a mulher virtuosa “ainda de noite se levanta, e dá mantimento à sua casa e a tarefa às suas servas” (Pv 31:15). É imperioso que a mulher tenha sob seu controle estas atividades domésticas, pois isto faz parte da sua sensibilidade e intuição e é fundamental para que o marido possa bem desempenhar as suas atividades, bem assim os filhos. A imagem social do marido está vinculada a isto (Pv 31:23), bem assim o da própria mulher (Pv 31:28,29).
2. É empreendedora. Algumas pessoas pensam que a mulher ideal é aquele que vive no lar e tem uma atitude bastante abnegada e servil. Mas a mulher descrita no capítulo 31 de Provérbios é uma mulher que está à frente do seu tempo; ela é vista como alguém que cuida bem da casa, do marido e dos filhos, mas ela é também uma mulher de negócios, uma empreendedora; além de ser uma excelente dona de casa, esposa e mãe zelosa, fabrica, importa e vende produtos, faz tapetes e confecciona roupas para sua família, gerencia seus recursos financeiros, compra e vende imóveis, planta e colhe sua lavoura (Pv 31:10-31). A mulher virtuosa é descrita como alguém que tem excelentes habilidades, e que é sábia. Sem sabedoria não há virtudes. Porém, sua força e dignidade não vêm de suas surpreendentes realizações, são o resultado de sua reverência a Deus.

IV. A MULHER VIRTUOSA COMO SERVA DE DEUS

1. Dá um bom testemunho. “Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa; seu marido a louva, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas” (Pv 31:28,29). Os filhos percebem a maravilhosa mãe que têm e lhe chamam ditosa. Também o marido a louva como dádiva de Deus, dizendo: “Há muitas esposas excelentes neste mundo, mas tu a todas sobrepujas”. Que as mulheres que temem ao Senhor busquem a sabedoria divina para que possam viver de modo que os filhos e toda a sua casa possam dizer: bem-aventurada!
2. É temente a Deus. “... mas a mulher que teme ao Senhor essa será louvada (Pv 31:30).Em Pv 31:28, a mulher virtuosa é chamada de “ditosa” tanto por seus filhos e por seu marido. E por que seus familiares a chamam assim?  Porque ela teme ao Senhor e, por isso, pratica obras sublimes (Pv 31:29-31). De fato, algumas mulheres são graciosas, porém não tem sabedoria; são formosas, porém insensíveis; mas a mulher que tem ao Senhor será reconhecida publicamente por sua diligência, seu caráter nobre e suas surpreendentes realizações. Poderia haver melhor final para o livro de Provérbios senão essa assertiva?

CONCLUSÃO

A mulher descrita em Provérbios 31:10-31 tem habilidades excelentes. A posição social de sua família é elevada. Isso pode indicar que se trata não de uma mulher, mas de um ideal de mulher. Assim, não convém aos homens imaginar que conseguirão uma esposa com todos esses atributos, nem às mulheres tentar imitar esse modelo em todos os detalhes; seus dias não são suficientemente longos para fazer todas as atividades dela! Veja-a como uma inspiração para você ser tudo o que puder ser. Talvez não possa ser como ela, mas pode aprender com seu trabalho, integridade e desenvoltura (Bíblia de Estudo – Aplicação Pessoal).
-------  
Elaboração: Luciano de Paula Lourenço – Prof. EBD – Assembleia de Deus – Ministério Bela Vista. Disponível no Blog: http://luloure.blogspot.com
Referências Bibliográficas:
William Macdonald – Comentário Bíblico popular (Antigo Testamento).
Bíblia de Estudo Pentecostal.
Bíblia de estudo – Aplicação Pessoal.
O Novo Dicionário da Bíblia – J.D.DOUGLAS.
Revista Ensinador Cristão – nº 56 – CPAD.
Comentário Bíblico Beacon – v.3. CPAD.
Sábios Conselhos para um viver Vitorioso – José Gonçalves. CPAD. 2013.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...