terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Jovens e Adultos: Uma Jornada de Fé – Lição 02: Um Libertador para Israel (DINÂMICA)

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.
3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou e-mail.
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associada a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 - Agora, vocês iniciam o estudo da lição.
- Falem: A lição de hoje tem como título “Um Libertador para Israel”.
- Trabalhem o conteúdo da lição de foram participativa.
Sugiro a leitura do texto "O Poder dos Nossos Limites", quando vocês trabalharem o item II da lição (postado abaixo).
- Para concluir a aula, utilizem a dinâmica “Fui Chamado”.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Fui Chamado

Objetivo: Refletir sobre o chamado individual para trabalhar no Reino de Deus.

Material:
Não é necessário

Procedimento:
- Organizem os alunos em semicírculo.
- Falem: Estudamos sobre o chamado de Moisés e sua missão como libertador do povo de Israel. Nós também temos um chamado para trabalhar no reino de Deus.
- Falem: Vou fazer uma chamada, isto é, vou falar o nome de cada aluno. Ao escutar seu nome, você poderá ter 03 atitudes:
Sair do seu lugar para o outro lado do semicírculo e falar sobre sua atitude de ação, quando recebeu o chamado do Senhor.
Permanecer no seu lugar e falar que está sem realizar nenhuma atividade porque não sabe qual sua missão, mas que permanece de pé pronto para agir.
Permanecer no seu lugar e sentar-se, porque não teve coragem, estímulo e motivação para realizar a missão dada, quem sabe apresentando desculpas como Moisés.
- Em seguida, falem: Aqui vimos situações diferentes para o chamado individual.
- Solicitem para que os alunos formem um círculo e de mãos dadas, façam uma oração pelos alunos, rogando para que haja constância no trabalho e despertamento e prontidão para os demais.
- Para concluir, peçam para que todos falem: Eis-me aqui Senhor!

Por Sulamita Macedo.

Texto de Reflexão: 

O Poder dos Nossos Limites
            
Moisés, na ocasião do seu chamado por Deus, apresentou várias desculpas. “Ó Senhor! Nunca tive facilidade para falar, nem no passado nem agora que falaste a teu servo. Não consigo falar bem!”(Ex 4.10).
            Estas palavras sugerem que Moisés tinha algum problema de fala – quem sabe ele era gago. Mas o Senhor lhe disse: “Quem deu a boca ao homem? Quem o fez surdo ou mudo? Quem lhe concede vista ou o torna cego? Não sou eu, o Senhor?”(v 11).
            Nossas deficiências, incapacidades não são acidentais; fazem parte do plano de Deus. Ele usa cada uma de nossas insuficiências para a Sua glória. A maneira de Deus lidar com o que nós chamamos de “limitações”, não é as removendo, mas nos ajudando a superá-las e usá-las para o bem.
            No Novo Testamento, o apóstolo Paulo se referiu a um “espinho na carne” não especificado, pedindo diversas vezes ao Senhor que o removesse(II Co 12.7-8). Mas Deus disse: “Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”(II Co 12.9).
            Paulo até aprendeu a “gloriar-se” nos seus problemas. “Eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim”(II Co 12.9). “Pois, quando sou fraco é que sou forte”(II Co 12.10). DHR
Fonte: Nosso Pão Diário(25.04.2005)

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...