quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Adolescentes - Lição 09: Obrigações iguais com regras diferentes (dinâmica)

Professoras e professores, observem estas orientações:
1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
- Cumprimentem os alunos.
- Perguntem como passaram a semana.
- Escutem atentamente o que eles falam.
- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
- Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou e-mail.
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associada a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

 6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:
- Falem sobre o tema da aula: Obrigações iguais com regras diferentes.
- Iniciem o estudo do tema através da dinâmica “Regras x Obediência”.
- Depois, trabalhem os seguintes pontos:
Cada pessoa tem responsabilidade no ambiente familiar.
Na família, há regras e cada pessoa deve obedecê-las, independente de quem seja pai, mãe, filhos etc. para que haja um ambiente familiar harmônico e organizado.
As regras devem ser obedecidas com alegria para que haja bem estar.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Regras x Obediência

Objetivo: Refletir sobre a importância das regras no âmbito familiar e cumprimento delas pelos membros da família.

Material:
Texto de reflexão “O Elefante”
01 quadro branco ou cartolina
01 marcador para quadro branco ou 01 pincel atômico

Procedimento:
- Iniciem lendo o texto “O Elefante”(postado abaixo).
- Falem, ainda: Para, encadear esta reflexão com o tema da lição, falem: Cada pessoa que analisou o que era o elefante, só tinha conhecimento da parte que pegou. Também, vocês conhecem os limites, as regras e responsabilidades de sua casa, sua família.
Para conhecermos as situações de outras famílias, vamos agora realizar uma atividade que tornará possível uma visão ampliada de como funciona as regras/responsabilidades nas famílias dos alunos da classe.
- Utilizando o quadro ou cartolina, façam uma tabela constando as responsabilidades do pai, da mãe e dos filhos, a partir das afirmações dos alunos daquilo que vivenciam nas suas famílias.
Veja modelo abaixo:
Responsabilidades/Regras
Do Pai
Da Mãe
Dos Filhos



Depois de preenchida, reflitam com os alunos quais as responsabilidades reais e sem idealismo que acontecem na família. Algumas argumentações:
Quem sustenta a casa? Somente o pai? O pai e a mãe? Somente a mãe? Há renda de algum aposentado(avô ou avó)?
A divisão de tarefas é dividida conjuntamente ou há sobrecarga na figura da mãe?
Quais são as atividades dos filhos?
O que pode ser modificado?
- Trabalhem os pontos levantados na lição de forma participativa e contextualize com o tipo de aluno que você ensina.
Por Sulamita Macedo.


Texto de Reflexão:
O Elefante

Certo dia, um príncipe indiano mandou chamar um grupo de cegos de nascença e os reuniu no pátio do palácio. Ao mesmo tempo, mandou trazer um elefante e o colocou diante do grupo.
Em seguida, conduzindo-os pela mão, foi levando os cegos até o elefante para que o apalpassem. Um apalpava a barriga, outro a cauda, outro a orelha, outro a tromba, outro uma das pernas. Quando todos os cegos tinham apalpado o animal, o príncipe ordenou que cada um explicasse aos outros como era o elefante.
O que tinha apalpado a barriga, disse que o elefante era como uma enorme panela.
O que tinha apalpado a cauda até os pelos da extremidade discordou e disse que o elefante se parecia mais com uma vassoura.
- Nada disso, interrompeu o que tinha apalpado a orelha, se alguma coisa se parece é com um grande leque aberto.
O que apalpara a tromba deu uma risada e interferiu:
- Vocês estão por fora. O elefante tem a forma, as ondulações e a flexibilidade de uma mangueira de água...
 - Essa não, replicou o que apalpara a perna, ele é redondo como uma grande mangueira, mas não tem nada de ondulações nem de flexibilidade, é rígido como um poste.
Os cegos se envolveram numa discussão sem fim, cada um querendo provar que os outros estavam errados, e que o certo era o que ele dizia.
Evidentemente cada um se apoiava na sua própria experiência e não conseguia entender como os demais podiam afirmar o que afirmavam. O príncipe deixou-os falar para ver se chegavam a um acordo, mas quando percebeu que eram incapazes de aceitar que os outros podiam ter tido outras experiências, ordenou que se calassem.
 - O elefante é tudo isso que vocês falaram, explicou, tudo isso que cada um de vocês percebeu é só uma parte do elefante. Não devem negar o que os outros perceberam. Deveriam juntar as experiências de todos e tentar imaginar como a parte que cada um apalpou se une com as outras para formar esse todo que é o elefante.

Fábula Indiana.

Fonte: 
http://atitudedeaprendiz.blogspot.com.br/

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...